Questões da Prova de Analista Judiciário - Área Administrativa

Questão: 108120
Banca: FCC Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2013
Sobre o processo de planejamento e orçamento, considere:

I. A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da Administração pública federal para as despesas relativas aos programas de curta duração.

II. A lei de diretrizes orçamentárias conterá, no mínimo, a discriminação da receita, por fontes, e da despesa, por elementos de despesa.

III. A lei de diretrizes orçamentárias disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.

IV. A lei orçamentária anual conterá Anexo de Metas Fiscais, em que serão estabelecidas metas anuais, em valores correntes e constantes, relativas a receitas, despesas, resultados nominal e primário e montante da dívida pública, para o exercício a que se referirem e para os dois seguintes.

Está correto o que se afirma APENAS em
Questão: 114844
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2004
Disciplina: Assunto:
A análise do ponto de equilíbrio — break even point — auxilia

Questão: 336424
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2004
Disciplina: Assunto:
Com referência à NBCT 11, julgue o item subseqüente.

Questão: 295561
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2007
Disciplina: Regimento Interno Assunto: Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro ,
No que concerne à competência do TRE-RJ, assinale a opção correta.
Questão: 99902
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2004
Assinale a alternativa incorreta:

Questão: 65556
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2005
Assinale a opção correta.
Questão: 520508
Banca: FCC Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2017
Disciplina: Assunto:
A redação em que as ideias estão expostas de modo claro e correto é:
Questão: 467131
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2007
Disciplina: Noções de Informática Assunto: Sistema Operacional e Software , Sistema Operacional e Software ,
Questão: 31896
Banca: FCC Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2010
A respeito dos princípios básicos da Administração, é correto afirmar:
Questão: 453086
Banca: CESPE Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa Ano: 2004
Disciplina: Português Assunto: Geral ,
Na linha 1, as duas ocorrências do pronome se pertencem à
mesma classe de palavras.
Texto I - itens de 1 a 20
Apostando na leitura
1 Se a chamada leitura do mundo se aprende por aí, na tal escola da vida, a leitura de livros carece de aprendizado mais
regular, que geralmente acontece na escola. Mas leitura, quer do mundo, quer de livros, só se aprende e se vivencia, de forma
plena, coletivamente, em troca contínua de experiências com os outros. É nesse intercâmbio de leituras que se refinam, se
4 reajustam e se redimensionam hipóteses de significado, ampliando constantemente a nossa compreensão dos outros, do mundo
e de nós mesmos. Da proibição de certos livros (cuja posse poderia ser punida com a fogueira) ao prestígio da Bíblia, sobre a qual
juram as testemunhas em júris de filmes norte-americanos, o livro, símbolo da leitura, ocupa lugar importante em nossa sociedade.
7 Foi o texto escrito, mais que o desenho, a oralidade ou o gesto, que o mundo ocidental elegeu como linguagem que cimenta a
cidadania, a sensibilidade, o imaginário. É ao texto escrito que se confiam as produções de ponta da ciência e da filosofia; é ele
que regula os direitos de um cidadão para com os outros, de todos para com o Estado e vice-versa. Pois a cidadania plena, em
10 sociedades como a nossa, só é possível - se e quando ela é possível - para leitores. Por isso, a escola é direito de todos e dever
do Estado: uma escola competente, como precisam ser os leitores que ela precisa formar. Daí, talvez, o susto com que se observa
qualquer declínio na prática de leitura, principalmente dos jovens, observação imediatamente transformada em diagnóstico de
13 uma crise da leitura, geralmente encarada como anúncio do apocalipse, da derrocada da cultura e da civilização. Que os jovens
não gostem de ler, que lêem mal ou lêem pouco é um refrão antigo, que de salas de professores e congressos de educação ressoa
pelo país afora. Em tempo de vestibular, o susto é transportado para a imprensa e, ao começo de cada ano letivo, a terapêutica
16 parece chegar à escola, na oferta de coleções de livros infantis, juvenis e paradidáticos, que apregoam vender, com a história que
contam, o gosto pela leitura. Talvez, assim, pacifique corações saber que desde sempre - isto é, desde que se inventaram livros
e alunos - se reclama da leitura dos jovens, do declínio do bom gosto, da bancarrota das belas letras! Basta dizer que Quintiliano,
19 mestre-escola romano, acrescentou a seu livro uma pequena antologia de textos literários, para garantir um mínimo de leitura aos
estudantes de retórica. No século I da era cristã! Estamos, portanto, em boa companhia. E temos, de troco, uma boa sugestão: se
cada leitor preocupado com a leitura do próximo, sobretudo leitores-professores, montar sua própria biblioteca e sua antologia
22 e contagiar por elas outros leitores, sobretudo leitores-alunos, por certo a prática de leitura na comunidade representada por tal
círculo de pessoas terá um sentido mais vivo. E a vida será melhor, iluminada pela leitura solidária de histórias, de contos, de
poemas, de romances, de crônicas e do que mais falar a nossos corações de leitores que, em tarefa de amor e paciência, apostam
25 no aprendizado social da leitura.

Marisa Lajolo. Folha de S. Paulo, 19/9/1993 (com adaptações).

A partir da análise do emprego das classes de palavras e da
sintaxe das orações e dos períodos do texto I, julgue os itens que
se seguem.